João Vasques de Talaveira - Todas as cantigas

Ver com anotações <


Cancioneiros:

A 242, B 430, V 42

Descrição:

Cantiga de Amor

Refrão

Muit'ando triste no meu coraçom
porque sei que m'hei mui ced'a quitar
de vós, senhor, e ir alhur morar;
e pesar-mi-á en, si Deus me perdom,
5       de me partir de vós per nulha rem
       e ir morar alhur sem vosso bem.
  
Porque sei que hei tal coit'a sofrer
qual sofri já outra vez, mia senhor,
e nom haverá i al, pois eu for,
10que nom haja gram pesar a prender
       de me partir de vós per nulha rem
       e ir morar alhur sem vosso bem.
  
Ca mi aveo assi outra vez já,
mia senhor fremosa, que me quitei
15de vós e sem meu grad'alhur morei;
mais este mui gram pesar me será
       de me partir de vos per nulha rem
       e ir morar albur sem vosso bem!
  
E quando m'eu de vós partir por en
20ou morrerei, ou perderei o sem!


Ver com anotações <


Cancioneiros:

A 243, B 431, V 43

Descrição:

Cantiga de Amor

Refrão

Parti-m'eu de vós, mia senhor,
sem meu grad'ũa vez aqui;
e na terra u eu vivi,
andei sempre tam sem sabor
5       que nunca eu pude veer
       de rem, u vos nom vi, prazer!
  
Na terra u me fez morar
muito sem vós, mia senhor, Deus,
fez-me chorar dos olhos meus;
10e fez-me tam coitad'andar
       que nunca eu pude veer
       de rem, u vos nom vi, prazer!
  
E des que m'eu de vós quitei,
fezo-me sempr'haver, de pram,
15Nostro Senhor mui grand'afã;
e sempre tam coitad'andei
       que nunca eu pude veer
       de rem, u vos nom vi, prazer!
  
E nom poderia prazer,
20u eu vos nom visse, veer.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

A 244, B 432, V 44

Descrição:

Cantiga de Amor

Refrão

Meus amigos, muit'estava eu bem
quand'a mia senhor podia falar
na mui gram coita que me faz levar
Nostro Senhor, que mi a mostrou; por en
5       me faz a mim sem meu grado viver
       longe dela e sem seu bem-fazer.
  
Deus, que lhe mui bom parecer foi dar,
por mal de mim e destes olhos meus,
me guisou ora que nom viss'os seus.
10Por mi a fazer sempre mais desejar
       me faz a mim sem meu grado viver
       longe dela, e sem seu bem-fazer.
  
Nostro Senhor, que lhe deu mui bom prez,
melhor de quantas outras donas vi
15viver no mund'; e, de pram, est assi:
porque a ela tod'este bem fez,
       me faz a mim sem meu grado viver
       longe dela e sem seu bem-fazer!
  
E faz-mi, à força de mim, bem querer
20dona a que nom ouso rem dizer.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

A 245, B 433, V 45

Descrição:

Cantiga de Amor

Refrão

Estes que ora dizem, mia senhor,
que sabem ca vos quer'eu mui gram bem,
pois en nunca per mi souberom rem,
querri'agora seer sabedor
5       per quem o poderom eles saber,
       pois mi o vós nunca quisestes creer?
  
Ca, mia senhor, sempre o eu neguei
quant'eu mais pud', assi Deus me perdom,
e dizem ora quantos aqui som
10que o sabem. Mais como saberei
       per quem o poderom eles saber,
       pois mi o vos nunca quisestes creer?


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 788, V 372
(C 788)

Descrição:

Cantiga de Amigo

Refrão

Disserom-mi que havia de mi
o meu amigo queixum'e pesar,
e é tal que me nom sei conselhar;
e, amiga, se lh'eu mal mereci,
5       rog'eu a Deus que o bem que m'el quer
       que o queira ced'a outra molher.
  
E, se el queixume quiser perder,
que de mim com tort'há, gracir-vo-lh'-ei;
e, amiga, verdade vos direi:
10se lh'hoj'eu queria mal merecer,
       rog'eu a Deus que o bem que m'el quer
       que o queira ced'a outra molher.
  
E fará meu amigo mui melhor
em perder queixume que de mim há,
15e, par Deus, amiga, bem lh'estará;
ca, se lh'eu fui de mal merecedor,
       rog'eu a Deus que o bem que m'el quer
       que o queira ced'a outra molher.
  
E, se lho el per ventura quiser,
20mal dia eu naci, se o souber.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 789, V 373

Descrição:

Cantiga de Amigo

Refrão

O meu amigo, que [eu] sempr'amei
d[e'l]o primeiro dia que o vi,
houv'el um dia queixume de mi,
nom sei porquê, mais logo lh'eu guisei
5       que lhi fiz de mi queixume perder
       - sei m'eu com'e non'o quero dizer.
  
Porque houv'el [de mi] queixume, os meus
olhos chorarom muito com pesar
que eu houv'en, poilo vi assanhar
10escontra mi, mais guisei eu, par Deus,
       que lhi fiz de mi queixume perder
       - sei m'eu com'e non'o quero dizer.
  
Houv'el de mi queixum'e ũa rem
vos direi que mi avẽo des entom:
15houv'en tal coita no meu coraçom
que nunca dormi, e guisei por en
       que lhi fiz de mi queixume perder
       - sei m'eu com'e non'o quero dizer.
  
E quem esto nom souber entender
20nunca en mais per mi pode saber.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 790, V 374

Descrição:

Cantiga de Amigo

Refrão

Quando se foi meu amigo daqui,
direi-vos quant'eu del pud'aprender:
pesou-lhi muit'em se partir de mi;
e or', amiga, moiro por saber
5       se é mort'ou se guariu do pesar
       grande que houv'em se de mi quitar.
  
Sei eu ca lhi pesou de coraçom
de s'ir, pero nom pud'i outra rem
fazer, se Nostro Senhor mi perdom;
10e moir', amiga, por saber d'alguém
       se é mort'ou se guariu do pesar
       grande que houv'em se de mi quitar.
  
Mui bem vej'eu quam muito lhi pesou
a meu amig'em se daqui partir,
15e todo foi por quanto se quitou
de mi; e moir', amiga, por oír
       se é mort'ou se guariu do pesar
       grande que houv'em se de mi quitar.
  
E, amiga, quem alguém sab'amar,
20mal pecado!, sempr'end'há o pesar.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 791, V 375

Descrição:

Cantiga de Amigo

Refrão

Conselhou-mi ũa mia [a]miga
que quisess'eu a meu amigo mal,
e ar dix'eu, pois m'en parti, atal:
"Rog'eu a Deus que El me maldiga
5       se eu nunca por amiga tever
       a que mi a mi atal conselho der
  
qual mi a mi deu aquela que os meus
olhos logo os entom fez chorar;
por aquel conselho que mi foi dar
10vos jur'eu que nunca mi valha Deus
       se eu nunca por amiga tever
       a que mi a mi atal conselho der
  
qual mi a mi deu aquela que poder
nom há de si nem doutra conselhar;
15e Deu'la leixe desto mal achar
e a mim nunca mi mostre prazer
       se eu nunca por amiga tever
       a que mi a mi atal conselho der.
  
A que mi a mi [a]tal conselho der,
20filhe-x'o pera si, se o quiser.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 792, V 376

Descrição:

Cantiga de Amigo

Refrão

Do meu amig'a que eu defendi
que nom fosse daqui, per nulha rem,
alhur morar, ca mi pesava en,
vedes, amiga, o que aprendi:
5       que est aqui e quer migo falar
       - mas ante pod'aqui muito morar!
  
Do que [vós] vistes que me preguntou,
quando s'el houve daqui a partir,
se mi seria bem, se mal, de s'ir,
10ai amiga, mandado mi chegou
       que est aqui e quer migo falar
       - mas ante pod'aqui muito morar!
  
Do que vós vistes mui sem meu prazer
partir daqui, quando s'end'el partiu,
15e nom me falou entom, nem me viu,
ai amiga, veerom-mi dizer
       que est aqui e quer migo falar
       - mas ante pod'aqui muito morar
  
que migo fal', e verá, do pesar
20que m'el fez, que mi poss'eu bem ve[n]gar.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 793, V 377

Descrição:

Cantiga de Amigo

Refrão

Vistes vós, amiga, meu amigo,
que jurava que sempre fezesse
todo por mi quanto lh'eu dissesse?
Foi-se daqui e nom falou migo;
5       e, pero lh'eu dixi, quando s'ia,
       que sol nom se fosse, foi sa via.
  
E per u foi, irá perjurado,
amiga, de quant'el a mim disse,
ca mi jurou que se nom partisse
10daqui, e foi-se sem meu mandado;
       e, pero lh'eu dixi, quando s'ia,
       que sol nom se fosse, foi sa via.
  
E nom poss'eu estar que nom diga
o [mui] gram torto que m'el há feito,
15ca, pero mi fezera gram preito,
foi-se daqui sem meu grad', amiga;
       e, pero lh'eu dixi, quando s'ia,
       que sol nom se fosse, foi sa via.
  
E, se m'el mui gram torto fazia,
20julgue-me com el Santa Maria.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 794=1212, V 378=817

Descrição:

Cantiga de Amigo

Refrão

O meu amigo, que mi gram bem quer,
punha sempr', amiga, de me veer,
e punh'eu logo de lhi bem fazer,
mais vedes que ventura de molher:
5       quando lh'eu poderia fazer bem,
       el nom vem i, e u nom poss'eu, vem.
  
E nom fica per mi, per bõa fé,
d'haver meu bem e de lho guisar eu;
nom sei se x'é meu pecado, se seu,
10mais mia ventura tal foi e tal é:
       quando lh'eu poderia fazer bem,
       el nom vem i, e u nom poss'eu, vem.
  
E, per bõa fé, nom fica per mi,
quant'eu poss', amiga, de lho guisar
15nem per el sempre de mi o demandar,
mais a ventura no-lo part'assi;
       quando lh'eu poderia fazer bem,
       el nom vem i, e u nom poss'eu, vem.
  
E tal ventura era pera quem
20nom quer amig'e nem dá por el rem.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 795, V 379

Descrição:

Cantiga de Amigo

Refrão

Quero-vos ora mui bem conselhar,
ai meu amig', assi me venha bem:
se virdes que me vos quer'assanhar,
mia sanha nom tenhades em desdém,
5       ca se nom for, mui bem sei que será:
       se m'assanhar, alguém se quexará.
  
Se m'assanhar, nom façades i al,
e sofrede a sanha no coraçom;
pois vos eu posso fazer bem e mal,
10de a sofrerdes faredes razom,
       ca se nom for, mui bem sei que será:
       se m'assanhar, alguém se quexará.
  
E, pois eu hei em vós tam gram poder
e haverei enquant'eu viva for,
15já nom podedes per rem bem ha[ver]
se nom fordes de sanha sofredor;
       ca se nom for, mui bem sei que será:
       se m'assanhar, alguém se quexará.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

V 1035

Descrição:

Tenção

Mestria

- Joam Vaásquez, moiro por saber
de vós por que leixastes o trobar
ou se foi el vos primeiro leixar;
ca vedes o que ouço a todos dizer:
5ca o trobar acordou-s'em atal:
que 'stava vosco em pecado mortal
e leixa-vos, por se nom perder.
  
- Lourenço, tu veens por aprender
de mim, e eu nom cho quero negar:
10eu trobo bem quando quero trobar,
pero nom o quero sempre fazer;
mais di-me ti, que trobas desigual:
se te deitam por en de Portugal,
ou se matast'hom', ou roubast'haver.
  
15- Joam Vaásquez, nunca roubei rem,
nem matei homem, nem ar mereci
porque mi deitassem, mais vim aqui
por gaar algo; e pois sei iguar-mi bem
como o trobar vosso; mais estou
20que se perdia convosc'e quitou-
-se de vós; e nom trobades por en.
  
[...]


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 1545
(C 1545)

Descrição:

Cantiga de Escárnio e maldizer

Refrão

Direi-vos ora que oí dizer
de Maria Leve, assi haja bem,
pola manceba: que se desavém
dela; e pois lh'ali nom quer viver,
5       ena Moeda Velha vai morar
       Dona Maria Leve, a seu pesar.
  
Ca atal dona com'ela guarir
nom pod'ali, se manceba nom há;
e vedes que oí, amigos, já:
10que, pois que se lh'a manceba quer ir,
       ena Moeda Velha vai morar
       Dona Maria Leve, a seu pesar.
  
Ca diz que morará ali mal e alhor,
poila manceba sigo nom houver;
15e contra Sam Martinho morar quer,
pola manceba: que, xi lh'ora for,
       ena Moeda Velha vai morar
       Dona Maria Leve, a seu pesar.
  
Ca nom pod'a manceba escusar,
20se na Moeda Velha nom morar.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 1546

Descrição:

Cantiga de Escárnio e maldizer

Refrão

O que veer quiser, ai cavaleiro,
Maria Pérez, leve algum dinheiro,
       senom nom poderá i adubar prol.
  
Quen'a veer quiser ao serão,
5Maria Pérez, lev'alg'em sa mão,
       senom nom poderá i adubar prol.
  
Tod'home que a ir queira veer suso,
Maria Pérez, lev'algo de juso,
       senom nom poderá i adubar prol.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 1547

Descrição:

Cantiga de Escárnio e maldizer

Refrão

Bem viu Dona Maria
Leve que nom tragia
       rem na mia esmoleira.
  
Quando me deostava,
5bem viu ca nom andava
       rem na mia esmoleira.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 1548

Descrição:

Cantiga de Escárnio e maldizer

Refrão

Maria Leve, u se maenfestava,
direi-vos ora o que confessava:
       - Sõo velh', ai capelam!
  
Nom sei hoj'eu mais pecado[r] burguesa
5de mim; mais vede-lo que mi mais pesa:
       sõo velh', ai capelam!
  
Sempr[e] eu pequei, des que fui foduda,
pero direi-vos per que [som] perduda:
       sõo velh', ai capelam!


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 1549

Descrição:

Cantiga de Escárnio e maldizer

Refrão

Sancha Pérez leve vós bem parecedes
e pero eu sei que mi vós mal queredes,
       nom xi m'obrida o amor de Maria.
  
Bom doair'havedes e manso falades
5e pero eu sei que me vós desamades,
       nom xi m'obrida o amor de Maria.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 1550

Descrição:

Tenção

Mestria

- Ai, Pedr'Amigo, vós que vos teedes
por trobador, agora o verei
eno que vos ora preguntarei
e no recado que mi tornaredes:
5nós que havemos mui bom rei por senhor,
e no-lo alhur fazem emperador,
dizede-mi ora quant'i entendedes.
  
- Joam Vaásquiz, pois me cometedes,
direi-vos eu quant'i entend'e sei:
10pois nós havemos aquel melhor rei
que no mund'há, porque nom entendedes
que o seu prez e o seu valor
todo noss'é, pois emperador for?
O demo lev'o que vós i perdedes!
  
15- Ai, Pedr'Amigo, eu nom perderia
em quant'el-rei podesse mais haver
em bõa terra e em gram poder,
ca quant'el mais houvesse, mais valria;
mais perde o rein'e vós perdedes i,
20os que sem el ficaredes aqui,
pois que se el for d'Espanha sa via.
  
- Joam Vaásquiz, eu bem cuidaria
que o reino nom há por que perder
por el-rei nosso senhor mais valer,
25ca rei do mund'é, se se vai sa via!
Valrá el mais, e nós [já] per el i;
de mais quis Deus que tem seu filh'aqui,
que se s'el for, aqui nos leixaria!
  
- Ai, Pedr'Amigo, pois vos já venci
30desta tençom que vosco cometi,
nunca ar migo filhedes perfia.
  
- Joam Vaásquiz, sei que nom é 'ssi
desta tençom, ca errastes vós i
e dix'eu bem quanto dizer devia.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 1551

Descrição:

Tenção

Mestria

- Joan'Airas, ora vej'eu que há
Deus mui gram sabor de vos destroir,
pois vós tal cousa fostes comedir:
que, de quantas molheres no mund'há,
5de todas vós gram mal fostes dizer,
cativ', e nom soubestes entender
o mui gram mal que vos sempr'en verrá.
  
- Joam Vaásquiz, sempr'eu direi já
de molheres moito mal, u as vir;
10ca, porque eu foi end'ũa servir,
sempre mi gram mal quis e querrá já;
por gram bem que lh'eu sabia querer,
casou-s'ora, por mi pesar fazer,
com quen'a nunca amou nem amará.
  
15- Joan'Airas, nom tenh'eu por razom
d'as molheres todas caerem mal
por end'ũa sóo, que a vós fal,
ca Deu'lo sabe que é sem razom;
por end'a vós ũa tolher o sem
20e dizerdes das outras mal por en,
errades vós, assi Deus mi perdom.
  
- Joam Vaásquiz, todas taes som
que, pois virem que nom amades al
senom elas, logo vos faram tal
25qual fez a mim ũa; e todas som
aleivosas; e quem lhis desto bem
disser, atal prazer veja de quem
[quer] que mais amar no seu coraçom.
  
- Joan'Airas, vós perdestes o sem,
30ca enas molheres sempr'houve bem
e haverá já, mais pera vós nom.
  
- Joam Vaásquiz, nom dizedes rem,
ca todos se queixam delas por en,
senom vós, que filhastes por en dom.