Pedro, conde de Barcelos

Rubrica:

 

Esta cantiga foi feita a estes cavaleiros que aqui conta, que prometerom um alão e sabujos, segundo aqui é escrito; e, pero que lhos enviarom pedir, nom os quiserom dar; e o Conde fez-lhis por en esta cantiga.


Mandei pedir noutro dia
 um alão a Pai Varela
pera ũa mia cadela,
e diss'el que mi o daria;
5e per como mi o el dá,
eu bem cuido que verrá
quand'aqui veer Messia.
  
 Outrossi Pero Marinho
 dous sabujos mi há mandado
10da terra de Condado;
e disse-m'um seu mininho
que bem certo foss'eu disto:
pois veer o Antre-Cristo,
verrá com el per caminho.
  
15Eu nom foi homem de siso,
u mi as promessas faziam,
duvidando ca verriam;
e entolha-xe-me riso
de que o foi duvidando:
20pois já sei que verram quando
for Judas no Paraíso.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

A rubrica que acompanha a cantiga explica-a perfeitamente.



Nota geral


Descrição

Escárnio e Maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1431, V 1041

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1431

Cancioneiro da Vaticana - V 1041


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas