Martim Padrozelos


Amigas, sejo cuidando
no meu amigo, porque nom
vem, e sal-m'este coraçom
e estes olhos chorando,
 5       que me nom pode guarir rem
       de morte, se cedo nom vem.
  
E ando maravilhada
porque tanto tarda, se é
viv'e sabe, per bõa fé,
10ca viv'hoj'eu tam coitada
       que me nom pode guarir rem
       de morte, se cedo nom vem.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

A moça confessa às amigas como anda amargurada, pensando continuamente no seu amigo, que não aparece. Estará vivo? Saberá ele o estado em que ela está? E de tal modo lhe sai o coração do peito, e de tal modo choram os seus olhos, que já nada a poderá salvar se ele não vem depressa.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1244, V 849

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1244

Cancioneiro da Vaticana - V 849


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas