Afonso Pais de Braga - Todas as cantigas

Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 853, V 439
(C 853)

Descrição:

Cantiga de Amor

Mestria

Pois mia senhor de mi nom quer pensar,
nem gradecer-mi quanto a servi,
nom me quer'eu por en desemparar,
ca mi acharei eu quem mi faç'assi;
5ca sei eu bem que nunca mi a falir
há quem eu sérvia, se poder servir,
mais nom que[m] eu tam muito poss'amar
  
com[o] ela; pero nom poss'estar
que nom sérvia já outra des aqui,
10que veja ela ca poss'eu achar
quem [eu] sérvia, e que lhi nom menti;
se eu nom moiro, farei-lho eu oir
ca sérvio eu outrem, nom por mi o gracir,
e que am'ela, muit'a seu pesar.
  
15E como s'en dona quer assanhar,
nom vos dirá que tolher pod'a mi
nẽum bem que ela possa osmar
que dela houvesse, des que naci;
e quando m'eu dela houver a partir,
20todo [mi] filhe quanto x'ela vir
que dela hei, se o quiser filhar.
  
E filhará log'i, a meu cuidar,
afã e coita, que maior nom vi;
pero ela, que nunca soub'amar,
25nom saberia conselh'haver i;
e quando s'end'ela quiser cousir
ou lho alguém ousar dizer, guarir
poderia per sol nom s'en queixar.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 854, V 440

Descrição:

Cantiga de Amor

Mestria

Ai mia senhor! quer'eu provar
se poderei sem vós viver
e veerei se hei poder
d'algũa vez sem vós morar;
5pero sei o que mi averrá,
ca mil vezes o provei já
e nunca o pud'acabar.
  
Pero quero-o começar
e forçar i meu conhocer
10e sei de mi como há seer
- e ca vos hei pois a rogar,
e quam pouco mi durará
mia sanh'e quam bem mi será
se vos posso desensanhar
  
15escontra mi, que vos pesar
nunca fiz, nem cuid'a fazer,
mais sei-vos tam gram bem querer,
que vos faz contra mi queixar;
e pois mi Deus poder nom dá
20que vos desame, assi m'hei já
vosc'a perder, por vos amar.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 855, V 441

Descrição:

Cantiga de Amor

Refrão

A que eu quero gram bem, des que a vi,
e que amo, Deu'lo sabe, mais ca mi,
me faz em coita viver:
       e desto xi m'atou morte, sem poder
5       que eu haja d'end'al fazer.
  
A provar haverei eu se poderei
guarir sen'a ir veer, pero bem sei
que o nom hei de fazer:
       e desto xi m'atou morte, sem poder
10       que eu haja d'end'al fazer.
  
Pero nunca lh[e] eu cousa mereci
per que me mate, ventura me faz i,
sem seu grado, bem querer:
       e desto xi m'atou morte, sem poder
15       que eu haja d'end'al fazer.
  
Nunca tal ventura vistes qual eu hei
contra ela, que servi sempr'e amei,
polo nom ousar dizer:
       e desto xi m'atou morte, sem poder
20       que eu haja d'end'al fazer.
  
Por sandice mi pod'homem esto contar,
mais por coita nom, quem vir seu semelhar.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 856, V 442

Descrição:

Cantiga de Amor

Refrão

Ai mia senhor! sempr'eu a Deus roguei
que vos visse e nunca al pedi;
e pois vos vi, log'i tanto cuidei
que nom era cuidado pera mi;
5       mais nom poss'eu meu coraçom forçar
       que nom cuide com'el quiser cuidar.
  
E, mia senhor, por Deus, rogar-vos-ei,
come senhor que am'e que serv'i,
que vos nom pês d'em vós cuidar, ca m'hei
10atanto bem e mais nom atend'i;
       mais nom poss'eu meu coraçom forçar
       que nom cuide com'el quiser cuidar.
  
E se eu fosse emperador ou rei,
era muito de mi aviir assi
15de vós, senhor, com'eu depois cuidei;
e vejo bem que lazerarei i;
       mais nom poss'eu meu coraçom forçar
       que nom cuide com'el quiser cuidar.
  
Pero que m'eu i hei a lazerar,
20sabor m'hei eu no que m'el faz cuidar.


Ver com anotações <


Cancioneiros:

B 857, V 443

Descrição:

Cantiga de Género incerto

Fragmento

Ora entend'eu quanto me dizia
a mia senhor, ca era guisado:
ca inda lh'eu muito graceria
o de que lhi nunc'houvera grado
5pola amar e servir doado;
como fez ora Sancha Garcia,
que me fezo tornar ond'eu ia.