João Airas de Santiago


Nom vi molher, des que naci,
tam muito guardada com'é
a mia senhor, per boa fé;
mais, pero a guardam assi,
5       quantos dias no mundo som,
       alá vai o meu coraçom.
  
De sa madre sei ũa rem:
que a manda muito guardar
de mi e d'outrem alá entrar;
10mais, pero a guarda mui bem,
       quantos dias no mundo som,
       alá vai o meu coraçom.
  
Do[s] que a guardam sei eu já
que lhis nom pod'home alá ir;
15mais direi-vos, per nom mentir,
pero mui guardada está,
       quantos dias no mundo som,
       alá vai o meu coraçom.
  
E pesa-mi a mim, porque nom
20posso ir u vai meu coraçom.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Se a sua senhora é a mais bem guardada donzela do mundo, e se a sua mãe dá ordens para que ninguém entre em sua casa, o trovador garante que todos os dias o seu coração vai ter com ela. Infelizmente, como conclui na finda, onde vai o seu coração não pode ele ir.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 947, V 535

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 947

Cancioneiro da Vaticana - V 535


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas