D. Dinis


 Joam Bol'anda mal desbaratado
e anda trist'e faz muit'aguisado,
ca perdeu quant'havia gaanhado
e o que lhi leixou a madre sua:
 5[pois] um rapaz que era seu criado
        levou-lh'o rocim e leixou-lh'a mua.
  
Se el a mua quisesse levar
a Joam Bol'e o rocim leixar,
 nom lhi pesara tant', a meu cuidar,
10nem ar semelhara cousa tam crua;
mais o rapaz, por lhi fazer pesar,
       levou-lh'o rocim e leixou-lh'a mua.
  
Aquel rapaz que lh'o rocim levou,
se lhi levass'a mua que lhi ficou
15a Joam Bolo, como se queixou
nom se queixar'andando pela rua;
mais o rapaz, por mal que lhi cuidou,
       levou-lh'o rocim e leixou-lh'a mua.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Afinal João Bolo compreendeu que tinha feito um mau negócio. Continuando o equívoco das duas cantigas anteriores que D. Dinis dedica a esta personagem, esta composição parece sugerir que nestas relações cruzadas (com mulas e cavalos) teria havido também liberalidades de amante, defraudado no final.



Nota geral


Descrição

Escárnio e Maldizer
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1537

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1537


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas