João Zorro


- Os meus olhos e o meu coraçom
e o meu lume foi-se com el-rei.
- Quem est, ai filha, se Deus vos perdom?
Que mi o digades, gracir-vo-lo-ei.
5       - Direi- vo-l'eu e, pois que o disser,
       nom vos pês, madre, quand'aqui veer.
  
Que coit'houv'ora el-rei de me levar
quanto bem havia nem hei d'haver?
 - Nom vos tem prol, filha, de mi o negar;
10ante vo-lo terrá de mi o dizer.
       - Direi-vo-l'eu e, pois que o disser,
       nom vos pês, madre, quand'aqui veer.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Este curto diálogo entre mãe e filha abre com o lamento da jovem pela partida do seu amigo, que se foi com el-rei. A mãe pede-lhe então que lhe diga quem ele é e a donzela responde-lhe que lhe dirá, se a mãe não levantar problemas quando ele a vier ver.
A composição parece integrar-se no notável ciclo de cantigas de João Zorro que têm Lisboa como cenário. Embora a cidade não seja referida aqui, a referência ao rei, presente em quase todas, parece confirmá-lo.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão, Dialogada
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1149bis, V 752

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1149bis

Cancioneiro da Vaticana - V 752


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas