João Airas de Santiago


Os que dizem que veem bem e mal
[e]nas aves e d'agoirar pre[i]t'ham,
querem corvo seestro quando vam
  algur entrar; e digo-lhis eu al:
5que Iésu Cristo nom me perdom
se ant'eu nom queria um capom
que um gram corvo carnaçal.
  
E o que diz que é mui sabedor
d'agoir'e d'aves, quand'algur quer ir,
10quer corvo seestro sempr'ao partir;
e por en dig'eu a Nostro Senhor
que El[e] me dê, cada u chegar,
capom cevado pera meu jantar
e dê o corvo ao agoirador.
  
15Ca eu sei bem as aves conhoscer
e com patela gorda mais me praz
que com bulhafre, voutre, nem viaraz,
que me nom pode[m] bem nem mal fazer;
e o agoirador torpe que diz
20que mais val o corvo que a perdiz,
nunca o Deus leixe melhor escolher.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Sátira aos agoireiros, especialistas em interpretar os presságios na posição e voo das aves, como corvos, abutres ou águias. João Airas, no que a aves respeita, prefere as mais comestíveis: galinhas, perdizes ou capões.



Nota geral


Descrição

Escárnio e Maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

V 601

Cancioneiro da Vaticana - V 601


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas