Golparro
Jogral medieval


Nacionalidade: Galega?

Notas biográficas:

Autor cuja biografia desconhecemos. A sua colocação nos cancioneiros, no grupo dos jograis galegos, parece indicar que se trata igualmente de um jogral galego, naturalidade que a referência a um santo venerado em Tui, feita na sua única cantiga conservada, parece confirmar. Recentemente (2018), com efeito, Ron Fernández1 descobriu, na documentação do mosteiro de Melón, um personagem que crê poder ser este jogral: trata-se de um Johanne Fernandez dicto Golparro, o qual, juntamente com sua mulher Marina e dois (prováveis) sobrinhos, vende, em abril de 1257, parte de uma sua propriedade ao dito mosteiro, propriedade essa situada exatamente nas vizinhanças da sede episcopal de Tui.
Terá vivido, pois, entre meados e finais do século XIII (tal como os restantes jograis do grupo, de resto).


Referências

1 Ron Fernández, Xavier (2018), "Martin Codax: o nome. A onomástica na lírica trobadoresca", in The Vindel Parchment and Martin Codax. The Golden Age of Medieval Galician Poetry, edited by Alexandre Rodríguez Guerra and Xosé Bieito Arias Freixedo, John Benjamins Publishing Company, pp. 231-232.
      Aceder à página Web


Ler todas as cantigas (por ordem dos cancioneiros)


Cantigas (por ordem alfabética):


Mal faç'eu velida, que ora nom vou
Cantiga de Amigo