Pero Mafaldo - All cantigas

View annotations <


Cancioneiros:

B 369
(C 369)

Description:

Cantiga de Amor

Refrão

Ai mia senhor! Vêm-me conselhar
meus amigos, como vos eu disser:
que vos nom sérvia, ca nom m'é mester,
ca nunca rem por mi quisestes dar;
5pero, senhor, nom m'en quer'eu quitar
       de vos servir e vos chamar senhor;
       e vós faredes depoi'lo melhor!
  
E todos dizem que fiz i mal sem,
ai, mia senhor!, de quanto comecei
10de vos servir; e non'os creerei,
mentr'eu viver, nunca, por ũa rem:
ca, mia senhor, mi fez [Deus] mui [gram] bem
       de vos servir e vos chamar senhor;
       e vós faredes depoi'lo melhor!
  
15E mais me dizem do que me vos deu
por mia senhor: que mi fez i gram mal.
Pois m'esto dizem, dizem-m'assi al:
"Non'a serviades, nem sejades seu."
Por tod'esto nom me partirei eu
20       de vos servir e vos chamar senhor;
       e vós faredes depoi'lo melhor!
  
E, mia senhor, conselha-me mui mal
quem mi o conselha; mais farei-m'eu al.


View annotations <


Cancioneiros:

B 370

Description:

Cantiga de Amor

Refrão

A mia senhor, que eu por meu mal vi,
feze-a Deus senhor de mui bom prez
e mais fremosa de quantas El fez.
Per bõa fé, todo por mal de mi
5       a fezo Deus de muito bem senhor
       e das melhores donas a melhor!
  
Por [a]tal moir'e direi-vos eu al:
fez-lhi tod'est'e fez-lhi muito bem
ena fazer dona de mui bom sem
10e mui mansa; e todo por meu mal
       a fezo Deus de muito bem senhor
       e das melhores donas a melhor!
  
E nom mi foi Nostro Senhor mostrar
os seus olhos, de pram, por bem dos meus,
15mais por meu mal; e assi quiso Deus!
Por me fazer maior coita levar
       a fezo Deus de muito bem senhor
       e das melhores donas a melhor!


View annotations <


Cancioneiros:

B 371

Description:

Cantiga de Amor

Refrão, Dialogada

- Senhor, por vós e polo vosso bem,
que vos Deus deu, vem muito mal a mi;
por Deus, senhor, fazed'o melhor i!
- Vedes, amig', o que vos farei en:
5       se vos por mi, meu amigo, vem mal,
       pesa-m'ende, mais nom farei i al.
  
- Senhor fremosa, mais vos en direi:
o vosso bem e vós e voss'amor
me dam gram mal, que nom podem maior.
10- Já vos dixi quanto vos en farei:
       se vos por mi, meu amigo, vem mal
       pesa-m'ende, mais nom farei i al.
  
- De vos pesar, senhor, bem est e prez,
pero nom poss'eu per tanto viver
15se vós i mais nom quiserdes fazer.
- Já vo-lo dix'e direi outra vez:
       se vos por mi, meu amigo, vem mal,
       pesa-m'ende, mais nom farei i al
  
de que mi pesa: cuid'eu que é mal
20demais, amigo, demandardes-mi al.


View annotations <


Cancioneiros:

B 372

Description:

Cantiga de Amor

Refrão

Senhor do mui bom parecer,
maravilho-m'eu do gram mal
que mi fazedes por meu mal;
e quantos lo ouvem dizer,
5senhor, ar maravilham-s'en
       de mi fazerdes sempre mal
       e nunca mi fazerdes bem.
  
Ca vos ouç'ende cousecer,
de mi fazerdes tanto mal,
10a muitos, a que é gram mal
em perder vosso conhecer
em mim e nom guaanhardes rem
       de mi fazerdes sempre mal
       e nunca mi fazerdes bem.
  
15E, mia senhor, quantos eu vi,
todos me dizem que é mal
de mi fazerdes tanto mal;
e maravilham-s'outrossi
se vo-lo conselhou alguém
20       de mi fazerdes sempre mal
       e nunca mi fazerdes bem.


View annotations <


Cancioneiros:

B 373

Description:

Cantiga de Amigo

Refrão

Ai amiga, sempr'havedes sabor
de me rogardes por meu amigo
que lhi faça bem; e bem vos digo
que me pesa, mais, já por voss'amor,
5       farei-lh'eu bem; mais de pram nom farei
       quant'el quiser, pero bem lhi farei.
  
Vós me rogastes mui de coraçom
que lhi fezesse bem algũa vez,
ca me seria mesura [e] bom prez,
10e eu, por vosso rogo e por al nom,
       farei-lh'eu bem; mais de pram nom farei
       quant'el quiser, pero bem lhi farei.
  
Rogastes-mi, amiga, per bõa fé,
que lhi fezesse todavia bem
15por vós, e, pois vós queredes, convém
que o faça, mais, pois que assi é,
       farei-lh'eu bem; mais de pram nom farei
       quant'el quiser, pero bem lhi farei.


View annotations <


Cancioneiros:

B 374

Description:

Cantiga de Sirventês moral

Mestria

Vej'eu as gentes andar revolvendo
e mudando aginha os corações
do que põem antre si, ai varões!
e já m'eu aquesto vou aprendendo
5e ora cedo mais aprenderei:
a quem poser preito, mentir-lho-ei,
e assi irei melhor guarecendo.
  
Ca vej'eu ir melhor ao mentireiro
ca o que diz verdade ao seu amigo;
10e por aquesto o jur'e o digo
que jamais nunca seja verdadeiro;
mais mentirei e firmarei log'al,
[e] a quem quero bem, querrei-lhe mal,
e assi guarrei come cavaleiro.
  
15Pois que meu prez nem mia honra nom crece,
porque me quigi teer à verdade,
vêde lo que farei, par car[i]dade,
pois que vej'o que m'assi acaece:
mentirei ao amigo e ao senhor,
20e poiará meu prez e meu valor
com mentira, pois com verdade dece.


View annotations <


Cancioneiros:

B 383
(C 383)

Description:

Cantiga de Amigo

Refrão

O meu amig', amiga, que me gram bem fezia,
fez-me preit'e menage que ante me veria
que se fosse; e vai-s'ora de carreira sa via;
       e sempre mi assi ment'e nom há de mi vergonha,
5       nom me viu mais d'um dia e vai-s'a Catalonha.
  
Nunca vistes, amiga, quem tal amigo visse,
ca me jurou que nunca se já de mi partisse,
e mais forom de cento mentiras que m'el disse;
       e sempre mi assi mente e nom há de mi vergonha,
10       nom me viu mais d'um dia e vai- s'a Catalonha.
  
Nom sabedes, amiga, como m'houve jurado
que nunca se partisse de mi sem meu mandado,
e mentiu-me cem vezes e mais o perjurado;
       e sempre mi assi ment'e nom há de mi vergonha,
15       nom me viu mais d'um dia e vai-s'a Catalonha.


View annotations <


Cancioneiros:

B 1513
(C 1513)

Description:

Cantiga de Escárnio e maldizer

Mestria

Maria Pérez, and'eu mui coitado
por vós, de pram, mais ca por outra rem,
e vós cuidades que hei de vós bem,
que eu nom hei de vós, mao pecado:
5ca mi fazedes vós em guisa tal
bem, mia senhor, que depois é meu mal;
e de tal bem nom sõo eu pagado.
  
D'haver de vós bem and'eu alongado,
pero punhades vós em mi o fazer
10quanto podedes, a vosso poder;
demais, fostes ogan'a meu mandado,
por mi fazerdes [i] bem e amor:
e com tal bem qual eu entom, senhor,
houvi de vós, mal dia eu fui nado.
  
15Em ũa noite o tive chegado;
diss'eu entom com'agora vos direi:
"Bom grad'a Deus, ca já agora haverei
o bem porque andava em cuidado".
E vós entom guisastes-mi-o assi,
20que mi valvera muito mais a mi
jazer mort[o], ou seer enforcado.
  
E se muit'aquesto mi há-de durar
vosco, senhor, devia-m'a matar
ant'ou seer ao Dem'encomendado.


View annotations <


Cancioneiros:

B 1514

Description:

Cantiga de Escárnio e maldizer

Mestria

Pero d'Ambroa, haveredes pesar
do que nós ora queremos fazer:
os trobadores queremos poer
que se nom faça tanto mal cantar,
5nem ar chamemos, per nẽum amor
que lh'hajamos, nulh'home trobador
senom aquel que souber [i] trobar.
  
E pesará-vos muit', eu ben'o sei,
do que vos eu direi, per bõa fé:
10polo vilão, que vilão é,
pom or'assi em seu degred'el-rei
que se nom chame fidalgo per rem,
senom os dentes lhi quitem por en;
e diz: "Assi o escarmentarei".
  
15Ar pesará-vo-l'o que vos disser
(est'é pesar e pesar com razom):
ca manda el-rei que se demandar dom
o vilão ou se se chamar segrel
e jograria nom souber fazer,
20que lhi nom dê home [de] seu haver,
mais que lhi filhem todo quant'houver.