Toponymy referred in the song:
  (line 3)

Rui Fernandes de Santiago


- Madre, quer'hoj eu ir veer      ←
meu amigo, que se quer ir      ←
a Sevilha el-rei servir;      ←
ai madre, ir-lo-ei veer.      ←
5       - Filha, id'e eu vosc'irei.      ←
- Faredes-me atam prazer,      ←
       ca nom sei quando mi o verei.      ←
  
Ben'o sabe Nostro Senhor      ←
que me pesa, pois que s'ir quer,      ←
10e veer-lo-ei, se vos prouguer,      ←
por Deus, mia madr'e mia senhor.      ←
       - Filha, id'e eu vosc'irei.      ←
- Madre, faredes-m'i amor,      ←
       ca nom sei quando mi o verei.      ←
  
15A Sevilha se vai daqui      ←
meu amigo por fazer bem      ←
e i-lo-ei veer por en,      ←
madre, se vos prouguer d'ir i.      ←
       - Filha, id'e eu vosc'irei.      ←
20- Madre, faredes-me bem i,      ←
       ca nom sei quando mi o verei.      ←



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

De novo em diálogo com uma mãe condescendente, a moça exprime o seu desejo de ir ver o seu amigo, que vai partir com el-rei para Sevilha (decerto para a sua conquista, em 1248), não sabendo, pois, quando o voltará a ver. A mãe. não só concorda, como adianta que a acompanhará.
A cantiga tem óbvias relações com a cantiga anterior (que parece, no entanto, tematicamente, corresponder a um momento posterior).



General note


Description

Cantiga de Amigo
Refrão, Dialogada
Cobras singulares
Dobre: (vv. 1 e 4 de cada estrofe)
veer (I), senhor (II), daqui/i (III)
(Learn more)


Manuscript sources

B 932, V 520

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 932

Cancioneiro da Vaticana - V 520


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown