Rui Fernandes de Santiago


Se hom'houvesse de morrer,
senhor, veendo gram pesar
da rem que mais soubess'amar
de quantas Deus quiso fazer,
5eu nom podera mais viver:
 u vos forom d'aqui filhar
à força de vós e levar,
e vos nom puid'eu i valer!
  
Nom me soubi conselh'haver
10per como podess'endurar
a coit'em que me vi andar,
pola forç'a que vos prender
vi; e quiser'ante sofrer
mort'ũa vez já ca ficar
15vivo, por haver a estar
tam grave pesar a veer;
  
e nunca no mundo prazer
des aqui jamais aguardar;
e sempre m'haver a queixar
20a Deus por El esto querer.
Mais ũa rem posso creer:
que Deus, que m'esto foi mostrar,
por en me leixa de matar
que haja sempre que doer;
  
25e que nunca possa tolher
estes meus olhos de chorar;
e que sempr'haj'a desejar
vós e o vosso parecer
(que nunca mi há d'escaecer),
30e no meu mal sempre cuidar;
bem me posso maravilhar
por mi a morte nom aduzer!
  
E nunc'a Deus queira prazer
que nunca El queira mostrar
35a nulh'home tanto pesar
quant'Ele poderia sofrer.



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Sendo o registo desta composição o de uma cantiga de amor, o seu tema é, no entanto, raro, até pelo seu realismo: perante a impotência do trovador, a sua senhora foi levada dali à força e de forma violenta (possivelmente para um casamento arranjado). Este será, como nos diz, o maior dos sofrimentos, ao qual não sabe como pôde resistir: assistir a tudo e não lhe poder valer. Mais lhe valeria ter morrido do que ficar na situação em que está: vivo e sem qualquer esperança de prazer no futuro. Se Deus não o matou mas quer que ele sofra a vida inteira, ele garante, no entanto, à sua senhora distante que jamais esquecerá o seu rosto. Na finda, passando a um plano geral, ele exprime ainda o desejo de que Deus não dê a ninguém um sofrimento maior do que pode suportar.
Permanecendo, pois, no registo de uma cantiga de amor, a composição não deixe de ser igualmente uma veemente denúncia de uma situação de violência familiar, decerto comum na época (e que se junta às referidas por Paio Soares de Taveirós, Fernão Velho e Lourenço).



General note


Description

Cantiga de Amor
Mestria
Cobras uníssonas
Finda
(Learn more)


Manuscript sources

A 308, B 900, V 485

Cancioneiro da Ajuda - A 308

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 900

Cancioneiro da Vaticana - V 485


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown