Pero da Ponte


Pois vos ides daqui, ai meu amigo,
conselhar-vos-ei bem, se mi creverdes:
tornade-vos mais cedo que poderdes,
e guisarei como faledes migo;
5       e, pois, amigo, comigo falardes,
       atal mi venha qual mi vós orardes.
  
Nom mi tardedes, com'outra vegada
mi tardastes, [ca] muit'hei en gram medo,
mais punhade de vos viirdes cedo,
10ca nossa fala muit'é bem parada;
       e, pois, amigo, comigo falardes,
       atal mi venha qual mi vós orardes.
  
E, se vós queredes meu gasalhado,
venha-vos em mente o que vos rogo:
15pois vos ides, de vos viirdes logo,
e falarei convosco mui de grado;
       e, pois, amigo, comigo falardes,
       atal mi venha qual mi vós orardes.



 ----- Increase text size

General note:

Dirigindo-se ao seu amigo, que vai partir, a moça pede-lhe para voltar o mais cedo que puder, acrescentando que arranjará maneira de se verem; e nessa altura fará tudo o que ele lhe pedir. E se na vez anterior demorou demais, agora não deve voltar a fazer o mesmo.



General note


Description

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

B 835, V 421

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 835

Cancioneiro da Vaticana - V 421


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown