Estêvão da Guarda


Ouç'eu muitos d'Amor que[i]xar
e dizem que per el lhes vem
quanto mal ham e que os tem
 em tal coita que nom há par;
5       mais a mim vem da mia senhor
       quanto mal hei, per desamor
  
 que m'ela tem; pero que al
ouço i eu a muitos dizer,
que lhes faz gram coita sofrer
10Amor, onde lhes vem gram mal,
       mais a mim vem da mia senhor
       quanto mal hei, per desamor
  
que m'ela tem mui sem razom;
pero vej'eu muitos, de pram,
15que dizem que quanto mal ham
que d'Amor lhes vem e d'al nom,
       mais a mim vem da mia senhor
       quanto mal hei, per desamor
  
que m'ela tem; e que peor
20poss'haver ca seu desamor?



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Se muitos se queixam do Amor, culpando-o pelos seus sofrimentos, o trovador só vê uma culpada para o seu próprio mal: a sua senhora.



General note


Description

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Ateúda atá finda
Finda
(Learn more)


Manuscript sources

B 622, V 223

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 622

Cancioneiro da Vaticana - V 223


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown