Search expression:


D. Dinis


 Translate

 Levantou-s'a velida,      ←
       levantou-s'alva,      ←
e vai lavar camisas      ←
       eno alto,      ←
5       vai-las lavar alva.      ←
  
Levantou-s'a louçana,      ←
       levantou-s'alva,      ←
e vai lavar delgadas      ←
       eno alto,      ←
10       vai-las lavar alva.      ←
  
[E] vai lavar camisas;      ←
       levantou-s'alva,      ←
o vento lhas desvia      ←
       eno alto,      ←
15       vai-las lavar alva.      ←
  
E vai lavar delgadas;      ←
       levantou-s'alva,      ←
o vento lhas levava      ←
       eno alto,      ←
20       vai-las lavar alva.      ←
  
O vento lhas desvia;      ←
       levantou-s'alva,      ←
meteu-s'[a] alva em ira      ←
       eno alto,      ←
25       vai-las lavar alva.      ←
  
O vento lhas levava;      ←
       levantou-s'alva,      ←
meteu-s'[a] alva em sanha      ←
       eno alto,      ←
30       vai-las lavar alva.      ←



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Mais uma conhecida e extraordinária cantiga de D. Dinis - uma alba, nesta caso - cuja complexidade é impossível de resumir nesta breve Nota Geral.
Em termos gerais, a" história" é simples: uma donzela levanta-se ao romper da manhã e dirige-se a uma nascente para lavar camisas (brancas); aí chegada, o vento começa a soprar, fazendo voar as camisas; e a donzela zanga-se com essa perturbação inesperada.
Para ir um pouco mais além desta aparente "simplicidade", o leitor poderá atentar em dois dos elementos centrais desta cantiga: o jogo com as aliterações (em v e l, particularmente) e o notável jogo com a polissemia do termo alva (nome e adjetivo, que se aplica à manhã, à donzela, às camisas e mesmo à nascente). Neste sentido, note-se apenas, por exemplo, que tanto poderemos entender que quem se "zanga" é a donzela como a manhã. O leitor poderá ainda ter em conta o provável valor simbólico do vento,
De resto, em estritos termos formais, deve notar-se que a composição não poderá ser classificada exatamente como uma cantiga de amigo, uma vez que nela a voz feminina está ausente. No entanto, quer a protagonista, quer o cenário em que se move são tão típicos das cantigas de amigo que é nesse género que ela é geralmente colocada,



General note


Description

Cantiga de Amigo
Refrão e Paralelística
Cobras alternadas
(Learn more)


Manuscript sources

B 569, V 172

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 569

Cancioneiro da Vaticana - V 172


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Levantou-se a belida levantou-se a alba      versão audio disponível

Versões de Fernando Lopes-Graça

Levantous' A Velida      versão audio disponível

Versão de Kit Higginson , Ensemble Alcatraz

Levantouse a belida      versão audio disponível

Versão de Amancio Prada

Dom Denis (Cantares de amigo) 

Versões de Tomás Borba

Levantou-s'a velida      versão audio disponível

Versão de José Mário Branco