Afonso X


Achei Sanch' [E]anes encavalgada
e dix'eu por ela cousa guisada:
ca nunca vi dona peior talhada,
e quige jurar que era mostea;
5       vi-a cavalgar per ũa aldeia
       e quige jurar que era mostea.
  
Vi-a cavalgar, muach'e sendeiro,
e nom ia milhor um cavaleiro.
Santiaguei-m'e disse: - Gram foi o palheiro
10onde carregarom tam gram mostea!
       Vi-a cavalgar per ũa aldeia
       e quige jurar que era mostea.
  
Vi-a cavalgar indo pela rua,
mui bem vistida em cima da mua;
15dix'eu: - Ai, velha fududancua,
que me semelhades ora mostea!
       Vi-a cavalgar per ũa aldeia
       e quige jurar que era mostea.



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Cena da vida da nobreza rural: num contra-retrato da senhor das cantigas de amor, uma gorda matrona atravessa as ruas de uma aldeia.



General note


Description

Escárnio e Maldizer
Refrão
Cobras singulares
Palavra(s)-rima: (v. 4 de cada estrofe)
mostea
(Learn more)


Manuscript sources

B 458

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 458


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown