Rui Pais de Ribela


       Par Deus, ai dona Leonor,
       gram bem vos fez Nostro Senhor!
  
Senhor, parecedes assi
tam bem que nunca tam bem vi;
5e gram verdade vos dig'i,
que nom poderia maior:
       par Deus, ai dona Leonor,
       gram bem vos fez Nostro Senhor!
  
E Deus, que vos em poder tem,
 10tam muito vos fezo de bem
que nom soub'El no mundo rem
por que vos fezesse melhor:
       par Deus, ai dona Leonor,
       gram bem vos fez Nostro Senhor!
  
15Em vós mostrou El seu poder,
qual dona sabia fazer,
de bom prez e de parecer
e de falar fez-vos, senhor:
       par Deus, ai dona Leonor,
20       gram bem vos fez Nostro Senhor!
  
Com'antr'as pedras bom rubi
sodes, antre quantas eu vi,
e Deus vos fez por mal de mi,
que há comigo desamor:
25       par Deus, ai dona Leonor,
       gram bem vos fez Nostro Senhor!



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Cantiga de louvor à beleza e qualidades de uma dama, da qual o trovador, num gesto muito pouco habitual, diz o nome: D. Leonor. Saliente-se ainda, para além da estrutura zejelesca (com os seus dois versos iniciais), a original comparação utilizada na última estrofe, única na lírica galego-portuguesa.
A identificação desta dama poderia ajudar-nos a contextualizar melhor a cantiga; embora demos uma sugestão na nota antroponímica ao verso inicial (A), a sua identificação exata é, no entanto, muito difícil, dado conhecermos apenas o seu nome próprio.
Chamamos ainda a tenção para as notas de leitura (L) da última estrofe, onde discutimos brevemente um complicado mas interessante problema de leitura que nos colocam os manuscritos neste passo.



General note


Description

Cantiga de Amor
Refrão, refrão inicial
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

A 198, B 349

Cancioneiro da Ajuda - A 198

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 349


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Par Deus, ai dona Leonor       versão audio disponível

Versão de Manuel Pedro Ferreira, Paul Hillier

Modern Composition or Recreation

Por Deus, ay! Dona Leonor 

Versão de Frederico de Freitas