João Soares Coelho


Nom me soub'eu dos meus olhos melhor,
per nulha rem, vingar ca me vinguei.
E direi-vos que mal que os matei:
levei-os d'u veíam sa senhor.
5       E fiz seu mal e do meu coraçom
       por me vengar deles e por al nom!
  
Ca me nom podiam, per nulha rem,
sem veê'lo mui bom parecer seu,
fazer gram mal. Mais que lhes ar fiz eu?
10Levei-os d'u a viiam por en!
       E fiz seu mal e do meu coraçom
       por me vengar deles e por al nom.
  
E na sazom que lhes eu entendi
que eles haviam de a veer
15maior sabor, pero me de fazer
mui grave foi, levei-os [eu] dali.
       E fiz seu mal e do meu coraçom
       por me vengar deles e por al nom.
  
E na vengança que deles prendi,
20gram mal per fiz a eles e a mi.



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Possivelmente na sequência da cantiga anterior, são de novo os olhos do trovador que estão no centro desta cantiga: agora, para se vingar deles, ele levou-os de onde podiam ver a sua senhora (e no momento em que mais o desejavam). Mas o mal que lhes infligiu foi também o seu próprio mal.



General note


Description

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Learn more)


Manuscript sources

A 164, B 317

Cancioneiro da Ajuda - A 164

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 317


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown