Toponymy referred in the song:
  (line 10)

Pero Garcia de Ambroa


De Pero Bõo and'ora espantado      ←
de como era valent'e ligeiro      ←
  e vivedoiro assaz e arriçado;      ←
e disse-mi agora um cavaleiro,      ←
5que o leixara eire, ao serão,      ←
seer ant'a sa porta guarid'e são      ←
e, ante luz, acharom-no peideiro.      ←
  
E com'é traedor aqueste mundo      ←
e maao a quem se del muito fia!      ←
  10Ca de Santiag'atá Sam Fagundo      ←
mais vivedoiro homem nom havia.      ←
E dizem todos: - Quen'o assi visse      ←
jazer peendo, como se dormisse,      ←
 já del mazela nunca prenderia!      ←
  
15E este era o mais arriçado      ←
home de toda esta nossa terra,      ←
e viveu sempr'em exequ'[e] em guerra;      ←
mais peeu ora e, a Deus loado,      ←
dizem os homens, e dizem dereito,      ←
20que peeu bem, pois peeu em seu leito;      ←
 pero nom peeu bem maenfestado.      ←
  
El peeu quando cantavam os galos;      ←
e por sa molher, que i nom chegava,      ←
nõn'o ousavam changer seus vassalos;      ←
25mais um deles, o que el mais amava,      ←
e que sempr'ante muito bem fazia,      ←
já s'entom a el chegar nom podia,      ←
atam mal dizia que lhe cheirava.      ←



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Lamento, numa forma próxima do pranto de escárnio, pela morte de um tal Pero Bom, sujeito que seria tão nojento vivo como morto. Pero d´Ambroa joga aqui com os dois sentidos do verbo peer: peidar/dar o último suspiro. Também Pero Garcia Burgalês dedica uma cantiga ao mesmo assunto.
Como acontece em muitos outros casos de sátira pessoalizada, não é impossível que esta composição se inserisse num contexto político concreto, interpretação que parece depreender-se da forma como Pero d´Ambroa alude ao momento em que Pero Bom peeu, ou seja, quando cantavam os galos (v. 22), expressão que parece remeter imediatamente para o campo da traição (a partir do conhecido episódio bíblico da traição de S. Pedro). De qualquer forma, não tendo sido ainda possível localizar este Pero Bom, nada de mais concreto se poderá adiantar.



General note


Description

Cantiga de Escárnio e maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

B 1575

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1575


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown