Gil Peres Conde


 Pôs conta el-rei em todas sas fronteiras
que nem em vilas nem em carreiras
       que nom cômiam galinhas na guerra;
 ca diz que dizem as veedeiras
5       que será perdimento da terra.
  
A concelhos e a cavaleiros
mandam comer vacas e carneiros,
       mais nom cômiam galinhas na guerra;
ca diz que dizem os aguireiros
10       que será perdimento da terra.
  
Cômiam porcos frescos e toucinhos,
 cabritos, cachaç'e ansarinhos
       mais nom cômiam galinhas na guerra;
ca diz que lhi dizem os devinhos
15       que será perdimento da terra.



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Maliciosa cantiga baseada na tradição popular segundo a qual a carne de galinha faria perder a coragem (muito provavelmente por ser um alimento dado aos doentes e às pessoas frágeis). A cantiga, que tem certamente por contexto as guerras da Andaluzia, inventa um pretenso decreto do rei, provavelmente Afonso X, proibindo o consumo de tais aves nas zonas de guerra - forma indireta de denunciar a cobardia de muitos cavaleiros, tema que o próprio monarca, aliás, retomou em muitas das suas cantigas.



General note


Description

Cantiga de Escárnio e maldizer
Refrão
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

B 1518

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1518


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown