Airas Carpancho


Desej'eu muit'a veer mia senhor;
e pero sei que, pois d'ant'ela for,
       nom lh'hei a dizer rem
de com'hoj'eu haveria sabor
5       e lh'estaria bem!
  
Pola veer moir'e pola servir;
e pero sei que, pois m'ant'ela vir,
       nom lh'hei a dizer rem
de com'hoj'eu poderia guarir
10       e lh'estaria bem!
  
Se lh'al disser, nom me dirá de nom;
mais da gram coita do meu coraçom
       nom lh'hei a dizer rem
que lh'eu diria, em bõa razom,
15       e lh'estaria bem!
  
Pero hei gram sabor de lhe falar,
quando a vejo, por lhe nom pesar,
       nom lh'hei a dizer rem
de com'eu poderia led'andar
20       e lh'estaria bem!



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

O trovador não ousa falar à sua amada no amor que sente por ela. Embora sabendo que ela falará amavelmente com ele sobre qualquer outro assunto, o receio de lhe desagradar impede-o de lhe confessar o que sente.



General note


Description

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

A 65, B 177

Cancioneiro da Ajuda - A 65

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 177


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown