Pero Gomes Barroso


Chegou aqui Dom Foam e veo mui bem guisado;
pero nom veo ao maio, por nom chegar endoado,
       demos-lhi nós ũa maia,
       das que fezemos no maio.
  
5Per boa fé, bem guisado chegou aqui Dom Foam;
pero nom veo no maio, mais, por nom chegar em vão,
       demos-lhi nós ũa maia,
       das que fezemos no maio.
  
Porque veo bem guisado, com tenda e com reposte,
10pero nom veo en'o maio, nem veo a Pintecoste,
       demos-lhi nós ũa maia
       das que fezemos no maio.
  
Pois trage reposte e tenda, em que se tenha viçoso,
pero nom veo no maio, por nom ficar perdidoso,
15       demos-lhi nós ũa maia,
       das que fezemos no maio.
  



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Nova cantiga sobre o comportamento de alguns nobres nas guerras de reconquista da Andaluzia, que vem na sequência das duas que a precedem nos apógrafos italianos, nomeadamente da primeira delas. É possível, aliás, que se trate do mesmo rico-homem. Note-se que a referência ao mês de Maio tem a ver com o facto de ser nessa época que se fazia o fossado, ou seja, a reunião das tropas nas fronteiras de guerra. Mas a cantiga joga igualmente, com divertida ironia, com as muito populares festas do mês de Maio, e os seus tradicionais raminhos de oferta (as maias). O processo é semelhante ao utilizado pelo próprio Afonso X numa das suas cantigas.
Para o contexto político concreto da cantiga, ver a Nota Geral à primeira das cantigas deste ciclo.



General note


Description

Cantiga de Escárnio e maldizer
Refrão
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

B 1444, V 1055

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1444

Cancioneiro da Vaticana - V 1055


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown