Pedro, conde de Barcelos

Rubrica:

Esta cantiga de cima foi feita a ũa dona d'ordim, que chamavam Moor Martiins, por sobrenome Camela, e a um homem que havia nome Joam Martins, por sobrenome Bodalho, e era tabeliom de Braga.


Natura das animalhas
que som d'ũa semelhança
é de fazerem criança,
mais des que som fodimalhas.
5Vej'ora estranho talho
qual nunca cuidei que visse:
que emprenhass'e parisse
a camela do bodalho.
  
As que som d'ũa natura
10juntam-s'a certas sazões
e fazem sas criações;
mais vejo já criatura
ond'eu nom cuidei vêe-la;
e por en me maravilho
15de bodalho fazer filho,
per natura, na camela.
  
As que som, per natureza,
corpos d'ũa parecença
juntam-s'e fazem nacença
20- esto é sa dereiteza;
mais nom coidei em mia vida
que camela se juntasse
com bodalh'[e] emprenhasse
[e] demais ser del parida.



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Divertida sátira a um par composto por uma freira e um tabelião, feita a partir das suas apropriadas alcunhas (Camela e Leitão), como nos explica a rubrica.
Se a personagem do tabelião é a indicada na nota antroponímica, a cantiga poderá ainda ter um sentido político, uma vez que poderá ter sido composta, como adianta Resende de Oliveira1, no contexto do "grave conflito entre o rei e o arcebispo de Braga, D. Gonçalo Pereira, sobre o senhorio da cidade episcopal", ocorrido em 1341, "com D. Pedro a tomar o partido senhorial, isto é, o do arcebispo de Braga, contra os partidários do rei".

References

1 Oliveira, António Resende de (1994), Depois do espectáculo trovadoresco. A estrutura dos cancioneiros peninsulares e as recolhas dos séculos XIII e XIV, Lisboa, Edições Colibri, 240.



General note


Description

Cantiga de Escárnio e maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

V 1040

Cancioneiro da Vaticana - V 1040


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown