Song with proverb:
Como lhe cantarem, assim bailará
  (line 20)

Rui Queimado


Dom Marco, vej'eu muito queixar
Dom Estêvam de vós, ca diz assi:
 que, pero foi mui mal doent'aqui,
que vos nunca quisestes trabalhar
5de o veer, nen'o vistes; mais bem
 jura que o confonda Deus por en
se vos esto per casa nom passar.
  
Qual desdém lhi vós fostes fazer
nunca outr'home a seu amigo fez;
10mais ar fará-vo-lo [el], outra vez,
se mal houverdes: nom vos ar veer;
ca x'é el home que x'há poder tal,
 bem come vós, se vos ar veer mal,
de vos dar en pelo vas'a bever.
  
15Diz que o nom guii Nostro Senhor,
 se vos mui ced'outr'atal nom fezer:
nom vos veer quando vos for mester,
 poilo nom vistes; aind'al diz peior,
 um verv'antigo, com sanha que há:
20"como lhi cantardes, bailar-vos-á",
ca nom há porque vos baile melhor.



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Um desaguisado entre dois cortesãos, o primeiro queixando-se de o outro não o ter visitado (visto) quando tinha estado doente. A cantiga é um equívoco sobre o tema da miopia ou cegueira, um tema habitual num ciclo de composições que encontramos nos cancioneiros sobre um personagem chamado D. Estêvão (e cujo contexto é explicado na Nota Geral a uma delas), mas, atendendo a que este D. Marco nunca aparece nesse ciclo, não é impossível que esta composição satirize um outro D. Estêvão, seu homónimo.
Também não sabemos se este D. Marco seria um dos "amigos" de D. Estêvão, o que a certa altura parece ser sugerido, ou se simplesmente seriam os dois ceguetas (ambas as coisas são, aliás, possíveis). Se ainda por cima este D. Marco fosse um cantor, o provérbio final seria um achado de humor. Mas esta última sugestão é apenas uma hipótese.



General note


Description

Cantiga de Escárnio e maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

B 1388, V 997

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1388

Cancioneiro da Vaticana - V 997


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown