Lopo Lias

Rubrica:

Esta cantiga fez como respondeu um escudeiro que nom era bem fidalgo e queria seer cavaleiro; e el non'o tinha por dereito e diss'assi.


- Escudeiro, pois armas queredes,
dized'ora com quem comedes.
       - Dom Fernando, comer-mi-ei sol,
       ca assi fez sempre meu avol.
  
5- Pois armas tanto desejades,
buscad'ante com quem comiades.
       - Dom Fernando, comer-mi-ei sol,
       ca assi fez sempre meu avol.



 ----- Increase text size

General note:

Sátira a um escudeiro aspirante a fidalgo. Embora a rubrica da cantiga pareça à primeira vista dizer que se trata de um diálogo entre D. Lopo Lias e esse escudeiro, o facto é que, na cantiga, quem faz o interrogatório ao escudeiro é, explicitamente, um D. Fernando, não parecendo crível que seja este um nome fictício, atrás do qual se esconderia o trovador, como crêm Lapa1 e Pellegrini2. Assim, a parte final da rubrica que acompanha a composição, e el non´o tinha por dereito e diss´assi, pode referir-se apenas ao motivo que teria levado Lopo Lias a compor a cantiga e não ao diálogo que ela põe em cena, diálogo esse que poderá ter sido presenciado ou imaginado pelo trovador.
De resto, é bem possível que esta pequena composição se insirisse no mesmo contexto político do extenso ciclo que o trovador dedicou aos infanções de Lemos. Neste sentido, Vicenç Beltran supõe que este D. Fernando seria D. Fernando de Lara3. No entanto, se tiver fundamento a hipótese que formulamos na Nota Geral à primeira cantiga desse ciclo, é possível que se trate antes do então jovem monarca Fernando III.

References

1 Lapa, Manuel Rodrigues (1970), Cantigas d´Escarnho e de Maldizer dos Cancioneiros Medievais Galego-Portugueses, 2ª Edição, Vigo, Editorial Galaxia.

2 Pellegrini, Silvio (1969), "Il canzionere de D. Lopo Liáns", in Annali dell´Istituto Universitario Orientale - Sezione Romanza, XI .

3 Beltran, Vicenç (2009), “Lopo Liáns, em cas da Ifante”, in Medievalismo en Extremadura - Estudios sobre Literatura y Cultura Hispánicas de la Edad Media, Cáceres, Universidad de Extremadura.
      Go to web page




General note


Description

Cantiga de Escárnio e maldizer
Refrão
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

B 1353, V 961

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1353

Cancioneiro da Vaticana - V 961


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown