João Baveca


- Por Deus, amiga, preguntar-vos-ei
do voss'amigo, que vos quer gram bem,
se houve nunca de vós algum bem;
que mi o digades e gracir-vo-l'-ei.
5- Par Deus, amiga, eu vo-lo direi:
       serviu-me muit', e por lhi [nom] fazer
       bem, el foi outra molher bem querer.
  
- Amiga, vós nom fezestes razom
de que perdestes voss'amig'assi;
10quando vos el amava mais ca si,
por que lhi nom fezestes bem entom?
- Eu vos direi, amiga, por que nom:
       serviu-me muit', e por lhi [nom] fazer
       bem, el foi outra molher bem querer.
  
15- Vedes, amiga, meu sem est atal:
que, pois vos Deus amigo dar quiser
que vos muit'am'e vos gram bem quiser,
bem lhi devedes fazer e nom mal.
- Amiga, nom lhi pud'eu fazer al:
20       serviu-me muit', e por lhi [nom] fazer
       bem, el foi outra molher bem querer.



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Cantiga dialogada, na qual uma amiga começa por perguntar à donzela se ela algum dia concedeu os seus favores ao seu amigo. Na resposta (em grande parte no refrão e que se mantém inalterada ao longo da cantiga), a donzela diz-lhe que não, e que foi exatamente por isso que ele arranjou outra. A amiga considera então ter sido essa uma atitude insensata, e aconselha-a ainda a agir de outra maneira em relação a um futuro amigo.



General note


Description

Cantiga de Amigo
Refrão, Dialogada
Cobras singulares
Dobre: (vv. 2 e 3 de cada estrofe)
bem (I), assi/ (c)a si (II), quiser (III)
(Learn more)


Manuscript sources

B 1223, V 828

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1223

Cancioneiro da Vaticana - V 828


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown