João Zorro


Per ribeira do rio
vi remar o navio
       e sabor hei da ribeira.
  
Per ribeira do alto
5vi remar o barco
       e sabor hei da ribeira.
  
Vi remar o navio,
i vai o meu amigo
       e sabor hei da ribeira.
  
10Vi remar o barco,
i vai o meu amado
       e sabor hei da ribeira.
  
I vai o meu amigo,
quer-me levar consigo
15       e sabor hei da ribeira.
  
I vai o meu amado,
quer-me levar de grado
       e sabor hei da ribeira.



 ----- Increase text size

General note:

Integrada no ciclo de cantigas que tem como cenário Lisboa, a voz feminina canta agora a ribeira (margem) do rio, seguramente o Tejo, onde vê o navio a remos que leva o seu amigo. O prazer que ela sente com a contemplação da cena (e sabor hei), parecendo, à primeira vista, estar em desacordo com esta partida, explica-se textualmente nos dois últimos dísticos, quando ela diz que o seu amigo a quer levar consigo. Mas o refrão é suficientemente genérico para podermos igualmente entender que é a própria beleza do estuário do Tejo que esta voz feminina (e, através dela, João Zorro) exalta também aqui.



General note


Description

Cantiga de Amigo
Refrão e Paralelística
Cobras alternadas
(Learn more)


Manuscript sources

B 1150bis, V 753

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1150bis

Cancioneiro da Vaticana - V 753


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

E sabor hei da ribeira  

Versão de Frederico de Freitas