Paio Soares de Taveirós


Cuidava-m'eu, quando nom entendia
que mal sem era de vos bem querer,
 senhor fremosa, que m'en partiria
atanto que o podess'entender;
5mais entend'ora que faç'i mal sem
de vos amar, pero nom me part'en,
ante vos quero melhor todavia.
  
Eu mi cuidava que nom poderia
de vós viir, mia senhor, senom bem
 10- ca nom cuidei que me de vós verria
tam muito mal como m'agora vem;
e fazia dereito, ca nom al,
e[m] nom cuidar que me veesse mal,
senhor fremosa, d'u non'[o] havia.
  
15E por mui gram maravilha terria,
senhor, quem ora soubesse de qual
guisa mi vem – e dereito faria,
ca nunca vistes maravilha tal:
ca me vem mal d'u o Deus nom quis dar,
20senhor, e coita mui grand'e pesar
de vós, de que mi v[i]ir nom devia.
  
 Por en, senhor, cousimento seria
e mesura grand', assi Deus m'ampar!,
de mi fazerdes vós bem algum dia,
25pois tanto mal me fazedes levar;
e se mi bem fezéssedes, senhor,
sabed', a vós x'estaria melhor;
e demais Deus vo-lo gradeceria.



 ----- Increase text size

General note:

O trovador começa por dizer à sua senhor formosa que dantes pensava que, assim que notasse que o seu amor por ela se estava a tornar insensato, desistiria dele. Mas agora, vendo que assim acontece, não só não desiste como cada vez a ama mais. Porque dantes acreditava, e com toda a justiça, que jamais lhe viria mal de alguém tão isenta de mal. Mas agora está certo que todos os que conhecessem o seu sofrimento presente também se espantariam de tal coisa ser possível. Apela, pois, à sua generosidade e ponderação no sentido de o favorecer nem que seja um pouco - ficar-lhe-ia bem, e Deus agradecer-lhe-ia.



General note


Description

Cantiga de Amor
Mestria
Cobras singulares (rima a uníssona)
(Learn more)


Manuscript sources

B 145
(C 145)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 145


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown