Bernal de Bonaval


- Ai fremosinha, se bem hajades,
longi de vila, quem asperades?
       - Vim atender meu amigo.
  
- Ai fremosinha, se gradoedes,
5longi de vila, quem atendedes?
       - Vim atender meu amigo.
  
- Longi de vila, quem asperades?
- Direi-vo-l'eu, pois me preguntades:
       vim atender meu amigo.
  
10- Longi de vila, quem atendedes?
- Direi-vo-l'eu, poilo nom sabedes:
       vim atender meu amigo.



 ----- Increase text size ----- Decrease text size

General note:

Diálogo em que um interlocutor não identificado (o trovador?) pergunta à donzela quem espera ali, "longe da vila", e ela responde-lhe que espera o seu amigo. O facto de a cena se passar exatamente "longe da vila", ou seja, num lugar isolado, é o dado central a ter em conta, nesta breve aguarela, plena de subentendidos.



General note


Description

Cantiga de Amigo
Refrão e Paralelística
Cobras alternadas
(Learn more)


Manuscript sources

B 1137, V 728

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1137

Cancioneiro da Vaticana - V 728


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Vim esperar o meu amigo      versão audio disponível

Versão de Fontes Rocha, Amália Rodrigues, Ary dos Santos

Ai fremosinha, se bem ajades (versão para canto e piano/harpa) 

Versões de Tomás Borba