João Airas de Santiago


A meu amigo mandad'enviei
 a Toled', amiga, per boa fé,
e mui bem creo que já co el é;
preguntad', e gradecer-vo-lo-ei,
5       em quantos dias poderá chegar
       aqui de Toledo quem bem andar.
  
 Ca do mandadeiro sei eu mui bem
que, depois que lh'o mandado disser,
que se verrá mais cedo que poder;
10e, amiga, sabede vós d'alguém
       em quantos dias poderá chegar
       aqui de Toledo quem bem andar.
  
E sempre catam estes olhos meus
per u eu cuido que há de viir
15o mandadeir', e moiro por oír
novas del, e preguntade, por Deus,
       em quantos dias poderá chegar
       aqui de Toledo quem bem andar.



 ----- Increase text size

General note:

Tendo enviado um recado para o seu amigo, que está em Toledo, e que certamente já o recebeu, a donzela, ansiosa pela resposta, pergunta a uma amiga se ela sabe (ou, se não sabe, que pergunte a alguém) quantos dias poderá demorar uma viagem de regresso, feita a andar bem (como o mensageiro fará, disso tem a certeza). Pressupõe-se que o aqui onde a donzela se encontra é Santiago de Compostela.



General note


Description

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Learn more)


Manuscript sources

B 1022, V 612

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1022

Cancioneiro da Vaticana - V 612


Musical versions

Originals

Unknown

Contrafactum

Unknown

Modern Composition or Recreation

Unknown