Pero da Ponte


Ora já nom poss'eu creer
que Deus ao mundo mal nom quer
e querrá, mentre lhi fezer
qual escárnio lhi sol fazer
5e qual escárnio lh'ora fez:
leixou-lhi tant'home sem prez
e foi-lhi dom Lopo tolher!
  
E oimais bem pode dizer
tod'home, que esto souber,
10que o mundo nom há mester,
pois que o quer Deus confonder;
ca, par Deus!, mal o confondeu
quando lhi dom Lopo tolheu,
que o soía manteer!
  
15E oimais quen'o manterá,
por dar i tanto rico dom,
caval'e armas a baldom?
Ou des oimais quen'o dará,
pois dom Lopo Diaz mort'é
20- o melhor dom Lopo, a la fé,
que foi nem jamais nom será?
  
E pero pois assi é já,
façamos atal oraçom:
que Deus, que prês mort'e paixom,
25o salve, que en poder há.
E Deus, que o pode salvar,
esse o lev'a bom lugar,
pelo gram poder que end'há!
  
Amen! Amen! Aquest'amen
30jamais nom si m'obridará!



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Pranto pela morte de D. Lopo Diaz, senhor de Haro e de Biscaia, ocorrida a 15 de Novembro de 1236.



Nota geral


Descrição

Pranto
Mestria
Cobras doblas (rima c singular)
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 987, V 575

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 987

Cancioneiro da Vaticana - V 575


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas