Pesquisa no glossário
  (linha 16)

João Airas de Santiago


 Andei, senhor, Leon e Castela      ←
depois que m'eu desta terra quitei,      ←
e nom foi i dona nem donzela      ←
que eu nom viss', e mais vos en direi:      ←
5       quantas mais donas, senhor, alá vi,      ←
        tanto vos eu mui mais precei des i.      ←
  
[E] quantas donas eu vi, des quando      ←
 me foi daqui, punhei de as cousir,      ←
e, poilas vi, estive cuidando      ←
10em vós, senhor, e por vos nom mentir,      ←
       quantas mais donas, senhor, alá vi,      ←
       tanto vos eu mui mais precei des i.      ←
  
E as que alá maior prez haviam      ←
em todo bem, tôdalas fui veer,      ←
15e cousi-as, e bem pareciam,      ←
pero, senhor, quero-vos al dizer:      ←
       quantas mais donas, senhor, alá vi,      ←
       tanto vos eu mui mais precei des i.      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Se numa cantiga anterior João Airas valorizava a beleza da sua senhora face à de todas as donas e donzelas que tinha visto nas suas viagens, agora a comparação é feita em termos do valor: quanto mais senhoras reputadas pelas suas qualidades via e observava, mais a apreciava a ela.
A cantiga é também um testemunho biográfico das "andanças" do trovador pelo reino de Leão e Castela (e do seu regresso a Santiago de Compostela).



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 948, V 536

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 948

Cancioneiro da Vaticana - V 536


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas