Sancho Sanches


Amiga, do meu amigo
 [o]í eu hoje recado
que é viv'e namorado
doutra dona, bem vos digo;
5       mais jur'a Deus que quisera
       oir ante que mort'era.
  
Eu era maravilhada
porque tam muito tardava,
  pero sempr'esto cuidava,
10se eu del seja vingada;
       mais jur'a Deus que quisera
       oír ante que mort'era.
  
Mui coitada per vevia,
mais ora nom sei que seja
15de mim, pois outra deseja
e leixou mim que servia;
       mais jur'a Deus que quisera
       oír ante que mort'era.
  
E a el mui melhor era
20e a mim mais mi prouguera.



 ----- Diminuir letra

Nota geral:

Na sequência da cantiga anterior, a moça diz agora à amiga que teve finalmente notícias do seu amigo: está vivo, mas apaixonado por outra, como ela receava. Assim sendo, sem saber, na sua mágoa, o que vai ser dela, jura que teria preferido saber que ele tinha morrido.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 937, V 525

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 937

Cancioneiro da Vaticana - V 525


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas