Afonso Gomes, jograr de Sarria

Rubrica:

 

Aº Gomez, jograr de Sarria, fez esta cantiga a Martim Moxa.


Martim Moia, a mia alma se perca
polo foder se vós pecado havedes,
nem por bõos filhos que [i] fazedes;
mais havedes pecado pola erva
5que comestes [e] que vos faz viver
tam gram tempo, que podedes saber
mui bem quando naceu Adam e Eva.
  
 Nem outrossi dos filhos barvados
nom vos acho [eu] i por pecador,
10senom dos tempos grandes traspassados
que acordades - e sodes pastor.
Dizede-m'ora, se vejades prazer:
de que tempo podíades seer
 quand'estragou ali o Almançor?
  
 15De profaçar [i] a gente sandia
nom havedes por que vos embargar,
nem por que filhardes em vós pesar,
 ca o nom dizem senom com perfia.
Dizede-m'ora, se Deus vos perdom:
20quando nacestes vós? Ant'a sazom
que encarnou Deus em Santa Maria?



 ----- Diminuir letra

Nota geral:

Divertida sátira ao clérigo e trovador Martim Moxa, feita por este jogral galego, que brinca com a longevidade do famoso trovador, atribuindo-a a alguma erva mágica que ele teria ingerido. Seria esse, aliás, o seu pecado e não o facto de fazer filhos ou de ter uma vida que dava azo a críticas.
Esta composição, que é a única que nos chegou deste jogral, vem nos Cancioneiros acoplada às composições de Martim Moxa.



Nota geral


Descrição

Escárnio e Maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 886, V 470
(C 886)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 886

Cancioneiro da Vaticana - V 470


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas