Nuno Peres Sandeu


Ai mia madre, sempre vos eu roguei
por meu amig', e pero nom mi val
 rem contra vós, e queredes-lhi mal,
e direi-vos que vos por en farei:
5       pois mal queredes meu lum'e meu bem,
       mal vos querrei eu, mia madre, por en.
  
 Vós catade per qual guisa será,
 ca nom hei eu jamais vosc'a viver,
pois vós a meu amig'ides querer
 10mal, direi-vos que vos end'averrá:
       pois mal queredes meu lum'e meu bem,
       mal vos querrei eu, mia madre, por en.



 ----- Diminuir letra

Nota geral:

Por mais que interceda pelo seu amigo junto da sua mãe, ela detesta-o. E assim a moça diz-lhe que, em troca, também lhe irá querer mal a ela, sem se importar com as consequências - e a mãe que resolva o assunto, pois com ela já não quer viver mais.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 797, V 381

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 797

Cancioneiro da Vaticana - V 381


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas