Fernão Fernandes Cogominho


Amiga, muit'há que nom sei,
nem mi ar veestes vós dizer,
novas que querria saber
dos que ora som com el-rei:
5       se se vêm ou se x'estam
       ou a que tempo se verrám.
  
Em quanto falastes migo,
dizede, se vos venha bem,
se vos disse novas alguém
10dos que el-rei levou sigo,
       se se vêm ou se x'estam
       ou a que tempo se verrám.
  
Daria mui de coraçom
que quer que haver podesse
15a que[m] mi novas dissesse
d'el-rei e dos que co[m] el som,
       se se vêm ou se x'estam
       ou a que tempo se verrám.
  
Mais bem sei [eu] o que farám:
20porque mi pesa, tardarám.



 ----- Diminuir letra

Nota geral:

Dirigindo-se a uma amiga, a donzela tenta saber notícias "dos que foram com el-rei": se vêm, ou se ainda vão demorar, ou quando virão. E conclui que, só para a aborrecer, decerto tardarão. Pressupõe-se, bem entendido, que o amigo da donzela é um dos que acompanharam o rei.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 704, V 305

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 704

Cancioneiro da Vaticana - V 305


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas