João Peres de Aboim


Vistes, madre, quando meu amigo
 pôs que verria falar comigo
       - hoje dia cuidades que venha?
  
Vistes u jurou que nom houvesse
5nunca de mim bem, se nom veesse;
       - hoje dia cuidades que venha?
  
Viste'las juras que jurou entom:
que verria sem mort'ou sem prisom
       - hoje dia cuidades que venha ?
  
10Viste'las juras que jurou ali,
que verria, e jurou-as per mi;
       - hoje dia cuidades que venha?



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Dirigindo-se à mãe, que testemunhou as juras feitas pelo seu amigo garantindo que viria de certeza falar com ela, salvo em caso de prisão ou de morte, a donzela pergunta-lhe se ela acha que será nesse dia.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 666, V 269

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 666

Cancioneiro da Vaticana - V 269


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas