João Nunes Camanês


Par Deus, donas, quando veer
meu amig'e migo falar,
nunca no mund', a meu cuidar;
foi outra tam leda molher
5com'eu serei, des que o vir,
mais pero triste serei [d'ir].



 ----- Diminuir letra

Nota geral:

Neste pequeno fragmento do que seria uma cantiga de amigo, a donzela exprime a sua alegria pela vinda do seu amigo, antecipando a tristeza pela sua posterior partida.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Fragmento
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 655, V 256

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 655

Cancioneiro da Vaticana - V 256


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas