João Nunes Camanês


Id', ai mia madre, vee'lo meu amigo,
que é coitado porque nom fala migo,
       e irei eu convosco, se vós quiserdes.
  
Tam coitad'é que morrerá, se me nom vir;
 5id', ai mia madre, vee'lo, polo guarir,
       e irei eu convosco, se vós quiserdes.
  
Porque morr'e me quer gram bem de coraçom,
ide vee-lo, mia madr', e guarrá entom
       e irei eu convosco, se vós quiserdes.



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

A donzela pede a sua mãe para ir em socorro do seu amigo que morre de amores.
Esta composição apresenta-se como o exato reverso da primeira cantiga deste (eventual) ciclo, assunto que discutimos na nota geral a essa mesma cantiga.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 654, V 255

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 654

Cancioneiro da Vaticana - V 255


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas