Fernão Rodrigues de Calheiros


Estava meu amig'atenden[d]'e chegou
 mia madr'e fez-m'end'ir, tal que mal me pesou;
       alá me tornarei
       e i lo atenderei.
  
5Nunca madr[e] a filha bom conselho deu,
nem a mim fez a minha, mais que farei eu?
       Alá me tornarei
       e i lo atenderei.
  
Pesar-lh'-ia a mia madre quem quer que lh'assi
10fezesse, mais direi-vos que farei eu i:
       alá me tornarei
       e i lo atenderei.



 ----- Diminuir letra

Nota geral:

A moça conta que, indo ter com o seu amigo, que a esperava, chegou a sua mãe e fê-la regressar. As mães são assim, sempre a atormentar as filhas – teria gostado a sua que alguém lhe fizesse o mesmo? Por estas razões, jura, no refrão, que lá voltará e, dessa vez, será ela a esperar pelo amigo.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amigo
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 631, V 232

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 631

Cancioneiro da Vaticana - V 232


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas