Toponímia referida na cantiga:
  (linha 1)

Pero Larouco


  O que me d'Ensar corrudo      ←
há, e de mais m'ameaça,      ←
 ainda en fi'de cornudo      ←
seja; por feito que faça,      ←
5é el padre do meu drudo      ←
[...]      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Esta segunda composição a que poderemos chamar "escárnio de amigo" (vide a anterior) está infelizmente incompleta. Parece, no entanto, que Pero Larouco nos apresenta agora a queixa de uma mulher expulsa da sua terra por quem a tinha engravidado (ou pelo avô da criança). Embora estilisticamente as duas pequenas composições se assemelhem, não sabemos se as personagens teriam alguma relação entre si.



Nota geral


Descrição

Escárnio e Maldizer
Fragmento
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 614, V 215bis

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 614

Cancioneiro da Vaticana - V 215bis


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas