Pesquisa no glossário
  (linha 15)

D. Dinis


Pois que vos Deus fez, mia senhor,      ←
fazer do bem sempr'o melhor      ←
e vos en fez tam sabedor,      ←
ũa verdade vos direi:      ←
5se mi valha Nostro Senhor,      ←
       érades bõa pera rei!      ←
  
E pois sabedes entender      ←
sempr'o melhor e escolher,      ←
verdade vos quero dizer,      ←
10senhor, que sêrvi'e servirei:      ←
pois vos Deus atal foi fazer,      ←
       érades bõa pera rei!      ←
  
E pois vos Deus nunca fez par      ←
de bom sem nem de bem falar,       ←
15nem fará já, a meu cuidar,      ←
mia senhor e quanto bem hei,      ←
se o Deus quisesse guisar,      ←
       érades bõa pera rei!      ←



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Dirigindo-se à sua senhora, o trovador garante-lhe que as suas incomparáveis qualidades (o discernimento, a inteligência, o bom senso, a capacidade de se exprimir bem) a tornam adequada para um rei.
Não sabemos se D. Dinis compôs esta cantiga ainda infante ou já como monarca. Seja como for, é impossível não pressupormos alguma espécie de irónico jogo autobiográfico nesta composição, embora o seu contexto exato seja impossível de deslindar.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 512, V 95

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 512

Cancioneiro da Vaticana - V 95


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas