D. Dinis


Pois mia ventura tal é já
que sodes tam poderosa
de mim, mia senhor fremosa,
por mesura que em vós há,
5e por bem que vos estará,
       pois de vós nom hei nẽum bem,
        de vos amar nom vos pês en,
       senhor.
  
E pois por bem nom teedes
10que eu haja de vós grado
por quant'afã hei levado
por vós, e assi queredes,
mia senhor, fé que devedes,
       pois de vós nom hei nẽum bem,
15       de vos amar nom vos pês en,
       senhor.
  
E, lume destes olhos meus,
pois m'assi desemparades
e que me grado nom dades
20como dam outras aos seus,
mia senhor, polo amor de Deus,
       pois de vós nom hei nẽum bem,
       de vos amar nom vos pês en,
       senhor.
  
25E eu nom perderei o sem,
 e vós nom perdedes i rem,
senhor.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Pois a sua senhora tem tão grande poder sobre ele e não está disposta a conceder-lhe o seu favor, o trovador pede-lhe que ao menos lhe permita amá-la sem nada pedir. E assim nem ele perderá a razão, nem ela perderá nada.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
Finda
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 508, V 91

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 508

Cancioneiro da Vaticana - V 91


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas