Pesquisa no glossário
  (linha 16)

Anónimo 4


Senhor fremosa, queria saber      ←
de vós que sempre punhei de servir:       ←
pois vos eu sei mais doutra rem amar,      ←
que diredes a quem vos preguntar,       ←
5pois me podedes de morte guarir,       ←
       senhor, por que me leixades morrer?      ←
  
Pois que m'assi teendes em poder,      ←
senhor fremosa, dized'ũa rem:      ←
que diredes, se vos alguém disser      ←
10que lhe digades, se vos aprouguer,      ←
pois me podedes guarecer mui bem,      ←
       senhor, por que me leixades morrer?      ←
  
Pois m'em tal coita podedes valer,      ←
come de morte, se Deus vos perdom!,      ←
15que diredes, fremosa mia senhor,      ←
 u vos aquesto preguntado for:       ←
pois vos eu amo mui de coraçom,      ←
       senhor, por que me leixades morrer?      ←
  
Pois vos Deus fez muito bem entender,       ←
20senhor fremosa que sempre servi,      ←
se vos alguém preguntar esta vez,      ←
que lhe diredes, por Deus que vos fez,      ←
pois vos eu amo muito mais ca mi,      ←
       senhor, por que me leixades morrer?      ←
  



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O trovador pergunta à sua senhora que justificação dará aos que lhe perguntarem por que deixou morrer quem tanto a amava, e que tão facilmente poderia socorrer.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 272

Cancioneiro da Ajuda - A 272


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas