Vasco Gil


Senhor fremosa, quero-vos rogar,
por aquel Deus que vos feze nacer
e mui melhor das outras parecer
donas que El em este mundo fez
 5e mui mansa e de mui melhor prez,
que vos nom pês de vos eu muit'amar!
  
Por vosso prez e por Deus, mia senhor,
e por mesura e por quanto bem
vos El foi dar, rogo-vos eu por en
10que, se vos hoj'eu faço pesar i
em vos amar, mia senhor, mais ca mi,
que me nom façades en sabedor.
  
E se me vós quiserdes consentir
que vos am'eu, direi-vos ũa rem:
15i me faredes aquel maior bem
daqueste mund'e que mais desejei
des que vos vi; e mais vos en direi:
sol por atanto vos quer'eu servir!



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Começando por fazer o elogio da sua senhora formosa (a melhor das que Deus fez, a mais meiga e a mais honrada), o trovador pede-lhe que não lhe pese o amor que lhe tem. Mas, se lhe pesar, que lho esconda. Se, no entanto, consentir nesse amor, esse será o maior bem que ela lhe poderá fazer neste mundo, suficiente para ele a servir.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 152

Cancioneiro da Ajuda - A 152


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas