Fernão Garcia Esgaravunha


Nẽum conselho, senhor, nom me sei
a esta coita que me faz haver
esse vosso fremoso parecer;
e pois aqui tamanha coita hei
5       u vos vejo, fremosa mia senhor,
       que farei já des que m'eu daqui for?
  
E perdud'hei o dormir e o sem
perderei ced', aquant'é meu coidar,
que nom sei i conselho que filhar;
10e pois mi aqui tamanha coita vem,
       u vos vejo, fremosa mia senhor,
       que farei já des que m'eu daqui for?
  
E nunca eu tamanha coita vi
haver a home, si Deus me perdom,
15aqual hoj'eu hei no meu coraçom
por vós; e pois tal coita hei aqui
       u vos vejo, fremosa mia senhor,
       que farei já des que m'eu daqui for?



 ----- Aumentar letra

Nota geral:

Se a dor que sente estando ao pé da sua senhora é enorme (já não dorme e quase enlouquece), o trovador pergunta-lhe como poderá sobreviver quando se for para longe dela?



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 128, B 243

Cancioneiro da Ajuda - A 128

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 243


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas