Fernando Eanes

Rubrica:

Esta troba fez Fernand’Eanes porque queria bem a ũa molher e nom lhi falou em s[e] partindo donde ela estava [Maria Moniz?]


 Do Port'and'e vou mudar,
por partida maldirei,
a que amo nom falei,
do que tomo grão pesar.
  
5Desejoso mui sobejo,
e nom deixo de cuidar,
desejando eu não vejo
quem me faz aprisoar;
em as penas suportar,
10nom me esquece a razão
donde houve afrição:
[e]sta morte sofrerei.
  
E, fim desto, nom direi
por quem passo afrição,
15senom sempre mudarei
sua nobre descreção,
em que tenho devação
que me há lá de valer;
pois me tem a seu poder,
20a Deus tenho de louvar.
  
Nunca foi partida […]
[…] tão triste de lugar



 ----- Diminuir letra

Nota geral:

Cantiga tardia, muito provavelmente de meados ou finais do século XV, que terá sido inserida por essa altura num espaço em branco do manuscrito medieval que serviu de base aos apógrafos italianos. Trata-se, de facto, de uma cantiga com mote e voltas, forma quatrocentista e quinhentista típica. A composição só foi, no entanto, copiada no Cancioneiro da Vaticana. No cancioneiro da Biblioteca Nacional, no lugar correspondente, está um espaço em branco, numerado 803, e com uma nota marginal de Colocci (deesf, falta), o que nos indica que o copista deste cancioneiro teria detetado o caráter espúrio da composição, não a transcrevendo. Acrescente-se que a transcrição que nos chegou é de leitura problemática em vários passos.



Nota geral


Descrição

Espúria
(Saber mais)


Fontes manuscritas

V 387

Cancioneiro da Vaticana - V 387


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas