Diogo Gonçalves de Montemor-o-Novo

Rubrica:

Pregunta que foi feita a Fernam d’Ataíde e feze-a Diogo Gonçalves de Montemor-o-Novo


Co[m'] homem ferido com ferro e com pau,
mais te valia de seeres já morto,
pois tua dama há com outro conforto;
e en'esto ficas tu por vaganau?
5Pára bem mentes e verás: qued'a nau,
aquesta ribeira dá grandes correntes
que desta guisa matará muitas gentes
ainda que se apeguem ao d'avam da nau
e vee se faram depois daí vau.
  
10- Perdom vos [eu] peço se en'esto pequei,
em quanto vos houve aqui devulgado,
pero grande tresteza e muito cuidado
de mim nom se parte, pero nom errei;
mas a Deus d'Amores me tornarei,
15com grandes querelas e m[ui]to braadando;
e ainda de mim sabee que já ando
buscando juiz que veja se errei;
porém em mia vida já lhe nom falarei.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Composição tardia, introduzida num espaço em branco do manuscrito por um autor/leitor quatrocentista. Se bem que copiada nos apógrafos italianos, a composição (que apresenta algumas dificuldades de leitura) já não faz parte da poesia galego-portuguesa.
Note-se que a resposta à pergunta feita por Diogo Gonçalves, e dada por Fernão d´Ataíde na segunda estrofe, pressupõe que o diálogo entre os dois poetas teria já antecedentes.



Nota geral


Descrição

Espúria
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1075bis, V 666

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1075bis

Cancioneiro da Vaticana - V 666


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas