Pero da Ponte


Eu bem me cuidava que er'avoleza
d'o cavaleiro mancebo seer
escasso muit'e de guardar haver;
mais vej'ora que val muit'escasseza:
5ca um cavaleiro sei eu vilam
e torp'e brav[o] e mal barragam,
pero tod'esto lh'encobr'escasseza.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Primeira estrofe de uma cantiga, que estará certamente incompleta, contra um cavaleiro cuja avareza, ou escassez, escondia todo o tipo de defeitos. A razom da cantiga é bastante subtil.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Fragmento
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1630, V 1164

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1630

Cancioneiro da Vaticana - V 1164


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas