Pero da Ponte


Um dia fui cavalgar
de Burgos contra Carrion
e saiu-m'a convidar
no caminh'um infançom;
5       e tanto me convidou
que houvi logo a jantar
       com el, mal que mi pesou.
  
U m'eu de Burgos parti,
log'a Deus m'encomendei
10e log'a El proug'assi
que um infançom achei;
       e tanto me convidou
que houvi a jantar log'i
       com el, mal que mi pesou.
  
15E se eu de coraçom
roguei Deus, baratei bem:
ca em pouca de sazom
aque m'um infançom vem;
       e tanto me convidou
20que houvi a jantar entom
       com el, mal que mi pesou.
  
E nunca já comerei
com'entom com el comi;
mais, u eu com el topei,
25quisera-m'ir, e el i
       atanto me convidou
que, sem meu grado, jantei
       com el, mal que mi pesou.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Sátira a um infanção que teria insistido em convidar Pero da Ponte para jantar - ideia lamentável, na sua opinião (subentende-se: dada a qualidade do dito jantar).



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1629, V 1163

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1629

Cancioneiro da Vaticana - V 1163


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas